Postagens

Mostrando postagens com o rótulo dicas de redação

Venha aprender dicas valiosas para não passar sufoco na redação.

Imagem
A Secretaria de Cultura, em parceria com a Didasko Centro de Ensino, promove oficina com análise de Redação (coesão, coerência, delimitação do tema, aspectos gramaticais e estilísticos) e de questões objetivas de vestibulares, especialmente da Fuvest, e concursos públicos. Mediação: Profª Kelly Carrijo.
Informações: 2087-4177 e www.didasko.net.br Entrada franca. Indicação: livre Inscrições feitas na hora.
Biblioteca Municipal Monteiro Lobato, Auditório Pedro Dias Gonçalves
Rua João Gonçalves, 439, Centro. Guarulhos

Quando: Dia 26/03 (sábado) às 10h

Por dentro da redação do Enem 2015: os termos que você NÃO deve usar na introdução

Imagem
Aprenda a escrever uma boa introdução na sua prova de redação do Enem 2015 Fonte: Universia Brasil A introdução de uma dissertação deve garantir que o leitor perceba um acréscimo de informações ao longo de sua leitura. Assim como em um filme, a redação deve surpreender o leitor, evitando aquela sensação de que tudo já estava previsível desde o começo. E isso vale para as provas do Enem, como também para qualquer vestibular. Caso todas as ideias sejam apresentadas logo no começo do texto, a sua redação ficará redundante, diminuindo as expectativas dos leitores e prejudicando a sua nota final no exame. Além disso, é importante dedicar uma atenção especial a certos termos que devem ser evitados logo no início do texto, que, na grande maioria das vezes, ofuscam a criatividade do estudante durante a elaboração da dissertação. Confira a seguir uma lista com7 exemplos de palavras que NÃO devem ser usadas na introdução da sua redação do Enem: 1 -“Atualmente”  2 - “Hoje em dia” 3 - “Desde épocas r…

Por dentro da redação do Enem 2015: entenda a diferença entre argumentação e demonstração

Imagem
Foto: Universia Brasil
Confira quais são as técnicas para defender suas ideias de maneira coerente durante a prova de redação do Enem 2015 A redação do Enem não exige dos candidatos somente uma capacidade de interpretação, como também de argumentação. Contudo, é importante que os alunos entendam a distinção entre argumentação e demonstração, uma vez que são estratégias textuais bastante diferentes. A argumentação toma como ponto de partida várias crenças e valores que coexistem em uma sociedade, fundamentando-se em um acordo entre o enunciador e o público leitor a respeito do grau de importância de certos valores. A demonstração, por outro lado, admite apenas o uso de deduções lógicas inegáveis, ou seja, de provas universais. Confira a seguir as principais diferenças entre as duas estratégias textuais:

Fonte: Universia Brasil