Postagens

Mostrando postagens com o rótulo antologia

Conheça os 10 melhores poemas dos últimos 200 anos

Imagem
Se você gosta de poesia, não perca o ranking com 10 dos melhores poemas dos últimos 200 anos

Escolher os poemas favoritos é uma tarefa árdua para quem gosta de poesia. São tantos autores, movimentos literários e estilos de escrita que criar um ranking por conta própria pode ser bastante difícil. A Revista Bula elegeu os 10 melhores poemas dos últimos 200 anos. O resultado é o que você vê a seguir, em ordem de classificação de acordo com os nomes mais citados. Para ler o poema, basta clicar abaixo sobre o nome dele. Vale dizer que em alguns casos foram disponibilizados apenas trechos dos poemas devido aos direitos autorais de cada um: Melhores poemas: A Terra Desolada, de T. S. EliotMelhores poemas: Tabacaria, de Fernando PessoaMelhores poemas: A Máquina do Mundo, de Carlos Drummond de AndradeMelhores poemas: Os Homens Ocos, de T. S. EliotMelhores poemas: Velejando para Bizâncio, de William Buttler YeatsMelhores poemas: À Espera dos Bárbaros, de Konstantinos KaváfisMelhores poemas: O Cemi…

Alguns bons motivos para ler Drummond a vida inteira

Imagem
Há muitos poetas bons no século XX no mundo todo, alguns realmente bons e um grupo seleto de cinco ou seis que são a base da poesia do século passado. Para nossa alegria, entre eles, está o mineiro Carlos Drummond de Andrade. Seria impossível – até inútil – tentar uma definição da abrangente obra de Drummond. Sua poesia é forte, complexa, sem deixar de ser acessível ao leitor comum. Podemos encontrar poemas sobre todos os temas possíveis, temáticas dos poetas clássicos até angústias contemporâneas. Ele versou sobre a existência, refletindo o sentido da vida e pondo a cada novo livro uma nova questão acerca da grande questão. Em todos os livros, de “Alguma Poesia” a “Farewell”, toca nesse ponto caro à Poesia. Solidão, angústia e a existência são postos em xeque inúmeras vezes. Em A bruxa, o poeta diz: Nesta cidade do Rio,
de dois milhões de habitantes,
estou sozinho no quarto,
estou sozinho na América. Drummond também tratou do passado – pessoal e nacional. Ao investigar sua infância …

6 inesquecíveis poemas de Manoel de Barros

Imagem
Fonte: http://www.portalraizes.com/1inesqueciveis-poemas-de-manoel-de-barros/ Retrato do artista quando coisa A maior riqueza
do homem
é sua incompletude.
Nesse ponto
sou abastado.
Palavras que me aceitam
como sou
— eu não aceito.
Não aguento ser apenas
um sujeito que abre
portas, que puxa
válvulas, que olha o
relógio, que compra pão
às 6 da tarde, que vai
lá fora, que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.
Perdoai. Mas eu
preciso ser Outros.
Eu penso
renovar o homem
usando borboletas. Tratado geral das grandezas do ínfimo A poesia está guardada nas palavras — é tudo que eu sei. Meu fado é o de não saber quase tudo.
Sobre o nada eu tenho profundidades.
Não tenho conexões com a realidade.
Poderoso para mim não é aquele que descobre ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobre as insignificâncias (do mundo e as nossas).
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.
Fiquei emocionado.
Sou fraco para elogio Os deslimites da palavra Ando muito completo de vazios.
Meu órgão de morrer me predomina.
Estou sem eternidade…