Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Cultura nordestina

Varal Literário: João Cabral de Mello Neto

Imagem
Nesse mês de janeiro nosso Varal Literário, que fica constantemente exposto no piso superior da Biblioteca Monteiro Lobato, homenageia o centenário de nascimento do poeta pernambucano João Cabral de Mello Neto. 
João Cabral de Melo Neto (Recife PE 1920 - Rio de Janeiro RJ 1999) publicou, em 1942, Pedra do Sono, seu primeiro livro de poesia. Em 1945 saiu O Engenheiro, livro em que apresenta os princípios do rigor, da clareza e da objetividade, características pelas quais sua obra se tornou conhecida. Nesse mesmo ano entrou para a diplomacia, carreira a que se dedicaria nas décadas seguintes; serviu na Espanha, na Inglaterra, na França e no Senegal. Em 1950 publicou O Cão sem Plumas, em cujos versos manifesta preocupações sociais.  Nos anos seguintes produziu várias obras poéticas, entre as quais Duas Águas (1956), Quaderna (1960), Morte e Vida Severina (1966) e A Educação pela Pedra (1967), com o qual ganhou o Prêmio Jabuti de Poesia de 1967. A peça Morte e Vida Severina foi musicada por…

BIBLIOTECA INDICA: SEMANA DA CULTURA NORDESTINA

Imagem
Acultura do Nordeste apresenta  características próprias herdadas da interação da cultura dos colonizadores portugueses, dos negros e dos índios. É importante destacar que a cultura representa uma complexa teia, na qual estão incluídos os conhecimentos, os costumes, as artes, as crenças, os cultos religiosos, a literatura popular, as danças e os hábitos, de determinado grupo. Dessa forma, a cultura do Nordeste brasileiro, região formada pelos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia, desenvolveu hábitos próprios com relação ao mundo e às manifestações culturais, herdados de geração em geração.
Manifestações Culturais Algumas das manifestações culturais que mais se destacam na região nordeste do Brasil são: as festas juninas, o Reisado, a poesia popular, o artesanato, a capoeira, o frevo e a culinária.
Oxente,  se achegue mais então que nosso post está arretado!
E não há como não se deliciar com o sotaque e as expressões do povo n…