Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Carlos Drummond de Andrade

Alguns bons motivos para ler Drummond a vida inteira

Imagem
Há muitos poetas bons no século XX no mundo todo, alguns realmente bons e um grupo seleto de cinco ou seis que são a base da poesia do século passado. Para nossa alegria, entre eles, está o mineiro Carlos Drummond de Andrade. Seria impossível – até inútil – tentar uma definição da abrangente obra de Drummond. Sua poesia é forte, complexa, sem deixar de ser acessível ao leitor comum. Podemos encontrar poemas sobre todos os temas possíveis, temáticas dos poetas clássicos até angústias contemporâneas. Ele versou sobre a existência, refletindo o sentido da vida e pondo a cada novo livro uma nova questão acerca da grande questão. Em todos os livros, de “Alguma Poesia” a “Farewell”, toca nesse ponto caro à Poesia. Solidão, angústia e a existência são postos em xeque inúmeras vezes. Em A bruxa, o poeta diz: Nesta cidade do Rio,
de dois milhões de habitantes,
estou sozinho no quarto,
estou sozinho na América. Drummond também tratou do passado – pessoal e nacional. Ao investigar sua infância …

"Para ganhar um Ano Novo que mereça esse nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo. Eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre."

Imagem
Para ganhar um Ano Novo que mereça esse nome, Você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo. Eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.


Carlos Drummond de Andrade