Projeto Poesia às segundas-feiras


ANJOS, Augusto dos. O corrupião. IN: FARACO, Sérgio (org.) O livro dos poemas. Porto Alegre, L&PM, 2009. p.521

Escaveirado corrupião idiota,
olha a atmosfera livre, o amplo éter belo,
e a alga criptógama e úsnea e o cogumelo,
que do fundo do chão todo o ano brota!

Mas a ânsia de alto voar, de à antiga rota
voar, não tens mais! E pois, preto e amarelo,
pões-te a assobiar, bruto sem cerebelo,
a gargalhada da última derrota!

A gaiola aboliu tua vontade
tu nunca mais verás a liberdade! ...
Ah, tu somente ainda és igual a mim.

Continua a comer teu milho alpiste.
Foi este mundo que me fez tão triste,
foi a gaiola que te pôs assim!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância das Bibliotecas em 33 motivos.

“A virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que o talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como seu sorriso...."

O sabão, de Monteiro Lobato