Projeto Poesia às segundas-feiras



TZVIETAIEVA, Marina ; CAMPOS, Augusto de. Diálogo de Hamlet com a consciência IN: Poesia da recusa. São Paulo, Perspectiva, 2011. p.153 (Signos, 42)

- Ela está lá no fundo, lama
E algas... se foi
Para dormir lá no fundo - onde não há
sono nem sonho.
- Mas eu a amava
Como quarenta mil irmãos
Não poderiam amá-la!

- Hamlet!
Está lá, no fundo, na lama,
Limo! ... Uma última corola
Entre as toras aflora...
- "Mas eu a amava
Como quarenta mil..."

- Menos
Do que só um amante.

Lá no fundo, na lama.
- Mas eu a amava - 
(dúvida)
como quem ama?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância das Bibliotecas em 33 motivos.

“A virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que o talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como seu sorriso...."

O sabão, de Monteiro Lobato