Projeto Poesia às segundas-feiras


BANDEIRA, Manuel. Versos de Natal. IN: Estrela da vida inteira. Rio de janeiro, Nova Fronteira, 2008. p.171

Espelho, amigo verdadeiro,
Tu refletes as minhas rugas,
Os meus cabelos brancos,
Os meus olhos míopes e cansados.
Espelho, amigo verdadeiro,
Mestre do realismo exato e minucioso,
Obrigado, obrigado!

Mas se fosses mágico,
Penetrarias até o fundo desse homem triste,
Descobririas o menino que sustenta esse homem,
O menino que não quer morrer,
Que não morrerá senão comigo,
O menino que todos os anos na véspera de Natal
Pensa ainda em pôr os seus chinelinhos atrás da porta.

                                                                               1939

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância das Bibliotecas em 33 motivos.

“A virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que o talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como seu sorriso...."

O sabão, de Monteiro Lobato