Projeto Poesia às segundas-feiras


ANDRADE, Carlos Drummond de. Episódio. IN: A rosa do povo. 31a. ed., Rio de Janeiro, Record, 2006.

Manhã cedo passa
à minha porta um boi.
De onde vem ele
se não há fazendas?

Vem cheirando o tempo
entre noite e rosa.
Pára a minha porta
sua lenta máquina.

Alheio à polícia
anterior ao tráfego
ó boi, que conquistas
para outro, teu reino.

Seguro teus chifres:
eis-me transportado
sonho e compromisso
ao País profundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância das Bibliotecas em 33 motivos.

“A virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que o talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como seu sorriso...."

O sabão, de Monteiro Lobato