Agosto é mês de grandes escritores nacionais

Imagem
Fonte :https://academiapopulardeletras.wordpress.com/2015/08/24/agosto-e-mes-de-grandes-escritores-nacionais/
Agosto é um grande mês para a literatura. É um mês que marca o nascimento de vários autores importantes nacionais e estrangeiros. Destacamos aqui quatro escritores brasileiros, que merecem ser lidos, relidos e descobertos por quem ainda não os leu. 
Confira:
10/08/1912 – JORGE AMADO Nasceu na Bahia e mudou-se, em 1930, para o Rio de Janeiro. Aos 19 anos publicou seu primeiro livro, O País do Carnaval (1931). Entre suas importantes obras estão Mar Morto, Capitães de Areia, O Mundo da Paz, Tocaia Grande e Grabriela, Cravo e Canela. É um escritor da segunda geração modernista. 20/08/1889 – CORA CORALINA Nasceu na Cidade de Goiás (GO), batizada de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas. Apesar da pouca escolaridade, aos 14 anos começa a publicar contos e poemas em periódicos da cidade sob o pseudônimo Cora Coralina. Poeta e contista, autora de obras como Poemas dos Becos de Goiás e Estór…

Sobre

Quem somos


Missão
Promover acesso a informação, contribuir para a formação de cidadãos conscientes e cumprir nosso papel social, cultural, educativo e de entretenimento para um público diversificado.

Biblioteca central
A Biblioteca Municipal Monteiro Lobato é a matriz do Sistema Municipal de Bibliotecas Públicas, que conta com um total de 09 bibliotecas, 02 bibliotecas especializadas e um Espaço Troca Livros.

Numa área de aproximadamente 1.590 m2, disponibiliza para a população mais de 170.000 exemplares, assinaturas de revistas e jornais, mapas e consulta ao Diário Oficial de Guarulhos.

Destacamos ainda o Espaço Braille Profª. Alice Ribeiro e o Ateliê de Conservação, Encadernação e Restauro. Além de funcionários especializados para o atendimento a cegos e pessoas de baixa visão, o Espaço Braille conta com mais de 3.100 volumes em Braille e mais de 1.190 audiolivros.

Bibliotecas da rede
  • Biblioteca Paulo do Carmo Dias, inaugurada em 14 de março de 1994
  • Biblioteca Cidade Seródio, inaugurada em 5 de dezembro de 1994
  • Biblioteca Orobó Jardim Presidente Dutra, inaugurada em 6 de abril de 2002
  • Biblioteca do Adamastor, inaugurada em 15 de maio de 2004
  • Biblioteca Orobó Jardim Guaracy, inaugurada em 6 de junho de 2004
  • Biblioteca Gracinda dos Anjos de Sá Domingues, inaugurada em 12 de dezembro de 2008
  • Biblioteca Orobó Mikail, inaugurada em 17 de dezembro de 2008
  • Biblioteca Maestro Cezar Testai, inaugurada em 14 de agosto de 2010
Todas estão informatizadas, com exceção da Biblioteca Orobó Jardim Guaracy.

Bibliotecas especializadas
    Música
    Biblioteca do Conservatório Municipal de Arte, inaugurada em 15 de fevereiro de 2002.
      Incentivo à leitura
      Centro de Incentivo à Leitura Luís de Camões, inaugurado em 15 de maio de 2004.

        Histórico

        Biblioteca central em 1969. Foto: Guarulhos Online
        Antecendentes
        Era o ano de 1937 e Getúlio Vargas deveria encerrar seu mandato no ano seguinte, mas decidido a continuar no poder, suspendeu o processo democrático e em 10 de novembro daquele ano determinou o fechamento do Congresso Nacional, decretou uma nova Constituição e deu início ao Estado Novo.

        Neste contexto vivia Guarulhos. Na época, era uma pacata cidade, sem muitos atrativos culturais. Isso motivou três funcionários públicos (João Ranali, Mário Boari Tamassia e Paulo de Morais) a elaborarem um projeto de criação de uma biblioteca municipal para o então prefeito José Moreira de Mattos. Em 20 de junho de 1939, foi criada a Biblioteca Pública Municipal, através do Ato nº 233.

        O acervo de mil e quinhentos volumes foi montado com livros doados pela própria comunidade e o mobiliário foi cedido pelo Sr. Antonio Machado da Empresa de Ônibus Guarulhos (RANALI, 1986, p. 117-8).

        Biblioteca central em 1959. Na escada, Áurea Mansur. Foto: PMG
        A Biblioteca foi instalada em 26 de outubro de 1940, no salão nobre da Prefeitura, situado na da rua Felício Marcondes esquina com a rua Sete de Setembro.

        Inauguração
        Em 10 de novembro de 1940 foi então inaugurada oficialmente a Biblioteca Pública Municipal prestando-se, nessa ocasião, uma homenagem ao aniversário do Estado Novo. Em 1955 é criado o Setor Circulante para empréstimos de livros (ROMÃO, 1980, p. 187).

        Novo prédio e nome oficial
        Devido ao crescimento da cidade e consequentemente do número de usuários, em 1960 é elaborado um projeto arquitetônico para construção de um novo prédio para a Biblioteca. O local escolhido foi a parte baixa do cemitério São João Batista, situado na rua João Gonçalves.

        A senhora Maria Helena Leite de Morais, filha do Sr. Paulo de Morais, conta que os cidadãos não aprovaram imediatamente a idéia e que o poder público, ofereceu às famílias dos falecidos dois jazigos no cemitério São Judas Tadeu, no Picanço, para que aceitassem a remoção dos corpos e assim foi feito.

        Em 13 de junho de 1968 é inaugurado o novo prédio da Biblioteca Municipal. Por sugestão do Sr. Ronaldo Saraceni, então diretor do Departamento de Educação e Cultura, a seção infantil receberia o nome de Monteiro Lobato.

        A Sra. Palmira Maria Moreno F. Simioli, criança na época e usuária assídua, conta que na ocasião da inauguração houve um coquetel com a presença de autoridades e também da filha de Monteiro Lobato, Sra. Martha Monteiro Lobato. Nesse dia, a Sra. Palmira foi premiada com o livro Contos de Fadas, traduzido pelo escritor e autografado pela sua filha.

        Manifestação dos estudantes
        Outro fato marcou a inauguração do novo prédio: a manifestação de estudantes universitários. A Sra. Suely Macca, uma das estudantes da época, conta que o prédio da rua João Gonçalves, construído especialmente para abrigar a Biblioteca Municipal, seria ocupado também por outros setores da Prefeitura, o que ocasionou desagrado entre os estudantes, que percebiam a necessidade de um equipamento cultural na cidade. Por este motivo, os estudantes reuniram-se e reivindicaram o que era deles por direito: a biblioteca.

        Dez anos depois, em 6 de julho de 1978, através do Decreto nº 6344, a Biblioteca Pública Municipal recebe, com muita honra, o nome de Biblioteca Municipal Monteiro Lobato.

        Primeiro bibliotecário
        Em 1982, a Sra. Áurea Andrade Mansur, funcionária pública atuante e responsável pela administração da Biblioteca, solicita que seja contratado um bibliotecário para integrar o quadro funcional, sendo atendida pelo Decreto nº 9268, em 13 de agosto de 1982, que criou a função e admitiu a primeira Bibliotecária: a Sra. Sidney Macca que, inclusive, ainda atua na instituição.

        Ampliação, mudanças e início do Sistema de Bibliotecas
        Da década de 90 até os dias atuais, a Biblioteca Monteiro Lobato passou por várias mudanças:
        Em 1994, deu inicio ao Sistema Municipal de Bibliotecas, com a criação da primeira Biblioteca Ramal em Vila Galvão Paulo do Carmo Dias. Em 1996, foi ampliada e teve seu acervo aberto para consulta.
        Passou por reformas em 2000 e 2002. Em 2002, foi informatizada e teve seu acervo unificado.
        Em 1994, deu inicio ao Sistema Municipal de Bibliotecas, oficializado por lei em janeiro de 1985, com a criação da Biblioteca Paulo do Carmo Dias. Em 1996, foi ampliada e teve seu acervo aberto para consulta. Passou por reformas em 2000 e 2002. Em 2002, foi informatizada e teve parte de seu acervo unificado em catálogo digital.

        Ação Cultural 
        É necessário destacar ainda a criação do Núcleo de Ação Cultural (2004). Foram contratados agentes culturais para dar suporte às diversas atividades e eventos culturais das bibliotecas e elaborar projetos de ação cultural com o propósito geral de fomentar projetos e iniciativas ligadas ao livro, leitura e literatura. Alguns projetos desta época, como o concurso literário A Palavra em Prisma, tornaram-se programas tradicionais no circuito literário do município.

        Espaço Troca Livros 
        O Espaço Troca Livros, inaugurado em 19 de junho 2004, foi e ainda é uma grande conquista dos estudantes e leitores da cidade. Possui o propósito de incentivar a troca e doação de livros, bem como triar e selecionar os materiais. No início de 2014, o Espaço mudou-se para a Biblioteca Central.

        Espaço Braille
        A inauguração do Espaço Braille Prof.ª Alice Ribeiro, no piso térreo da Biblioteca Central Monteiro Lobato, aconteceu em 22 de maio de 2000. Há mais de uma década o Espaço oferece um atendimento especialmente direcionado às pessoas com deficiência visual, facilitando o acesso a livros didáticos, paradidáticos, infanto-juvenis, romances etc., ampliados ou transcritos para o Sistema Braille ou gravados em CDs. Trata-se de um centro de orientação e referência em tecnologias assistivas aos voluntários e portadores de deficiência visual.

        Reformas e novos equipamentos 
        Como parte de um amplo programa de revitalização, foram reformadas e reinauguradas as bibliotecas Gracinda dos Anjos de Sá Domingues, Orobó Presidente Dutra, Paulo do Carmo Dias e Maestro Cezar Testai.

        Telecentros
        Com o intuito de acompanhar a revolução digital, foi inaugurado o Telecentro da Biblioteca Central e, posteriormente, das Biblioteca do Adamastor.

        Gibiteca e Mangateca 
        Oriunda da iniciativa e doação dos funcionários da Biblioteca Central, foi aberta ao público em 2011 com diversificado acervo e ciclo de exposições de autores do universo das histórias em quadrinhos.

        Durante seus mais de 70 anos de existência, o Sistema de Bibliotecas Públicas Municipais de Guarulhos propicia pesquisa, informação e lazer através de seu acervo e dos diversos programas culturais que abriga.

        Referências
        RANALI, João. Cronologia guarulhense. São Paulo: Artes Gráficas Guarú, 1986. v. 1.
        ROMÃO, Gasparino José; NORONHA, Adolfo de Vasconcelos. Guarulhos. São Paulo: Artes Gráficas Guarú, c. 1980.

            Postagens mais visitadas deste blog

            Busque você mesmo!