Projeto Poesia às 2as.feiras


SILVA, Abel. No enterro do Glauber. IN: Só uma palavra me devora: poesia reunida e inéditos. 3a.ed. Rio de Janeiro, Record, 2001. p.53

Fazia um sol de agosto bonito
até queimou de saúde
a cara de seus amigos

Vieram todas as mulheres
oficiais, ou não

Veio quem te amava
(e quem não te amava
pra levar o caixão)

A voz da Godói nos soprou
as leves asas tão leves
das Bachianas do Villa
e todo mundo chorou

O discurso de dona Lúcia
foi o mais bonito. Toda a ternura de mãe
toda a força do granito

Quando voltei para casa
-- madrugada lilás
com lua árabe --
você já era uma estrela
marota piscando de lá

As âncoras dos mortos doem
no coração dos vivos
para sempre

Amamos o futuro
muito precocemente
ninguém escreveu o roteiro
e ninguém dirigirá
o filme da vida da gente.
Postar um comentário