Projeto Poesia às 2as.feiras




SILVA, Abel. Alma. IN: Só uma palavra me devora: poesia reunida e inéditos. 3a.ed., Rio de Janeiro, Record, 2001. p.163

Há almas que têm
as dores secretas
as portas abertas
sempre pra dor.
Há almas que têm
juizo e vontade
alguma bondade
e algum amor.
Há almas que têm
espaços vazios
amores vadios
restos de emoção.
Há almas que têm
a mais louca alegria
que é quase agonia
quase profissão.
A minha alma tem
um corpo moreno
nem sempre sereno
nem sempre explosão.
Feliz esta alma
que vive comigo
e que vai onde eu sigo
o meu coração.


Postar um comentário