Biblioterapia: livros que podem ajudar na cura de doenças físicas e emocionais

Por: Andréia Coutinho Louback



Quem chega no meio de uma conversa e escuta a palavra biblioterapia tem grandes chances de fazer várias interpretações aleatórias – e até equivocadas – do seu real significado. Esta comprovado: mergulhar na leitura como prática terapêutica traz mais benefícios do que a medicina poderia supor. E, embora muitos ainda não tenham ouvido falar, a técnica já tem sido estudada – pelo menos – desde os meados ou século 20. A pesquisa intitulada “A leitura como função terapêutica: biblioterapia” (1940), da professora Clarice Fortkamp Caldin, investigou uma série de definições de pesquisadores de diferentes gerações.
No último dia 1º de março, completou um ano que a clínica lisboteca The Therapist decolou com inúmeros tratamentos alternativos – entre eles, as sessões biblioterapêuticas. Cada sessão consulta custa, em média, 60 euros. No lugar de antibióticos, cirurgias e exames delicados, a proposta (genial) de tratamento é prescrita pelo o que mais amamos por aqui: leitura de livros!

Vamos descomplicar?

Os gêneros literários de poesia e ficção, em especial, são os maiores aliados aos tratamentos de doenças físicas e da alma, pois são obras que despertam a imaginação e a identificação com personagens. Isso renova o senso de realidade, de esperança e de vida. A biblioterapia é um método profundo e eficaz que acredita na cura nas feridas do corpo e da simples ato de ler. Mas, atenção: não é qualquer leitura “ao leo” . São bibliografias direcionadas – dependendo das faixas etárias, específicas aos diagnósticos e personalizadas para cada caso. O resultado agrega não apenas ao autoconhecimento, mas impulsiona nosso cérebro ao prazer pela leitura e busca respostas para as angústias.
Fonte: http://blog.estantevirtual.com.br/2018/03/12/biblioterapia-10-livros-que-podem-ajudar-na-cura-de-doencas-fisicas-e-emocionais/
Postar um comentário