Projeto Poesia às 2as.feiras


GULLAR, Ferreira. Manhã de novembro. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.469

Meu gato siamês

                         (de veludo
                         e garras,
                         cheio de sons)

deita-se
ao sol
                       (da morte,
                       sabemos nós)


displicentes


e eterno.

Postar um comentário