Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem relacionada

GULLAR, Ferreira. Redundâncias. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.448

Ter medo da morte
é coisa dos vivos
o morto está livre
de tudo o que é vida

Ter apego ao mundo
é coisa dos vivos
para o morto não há
(não houve)
raios rios risos

E ninguém vive a morte
quer morto quer vivo
mera noção que existe
só enquanto existo


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura