Projeto Poesia às 2as.feiras

Resultado de imagem para santiago

GULLAR, Ferreira. Dois poemas chilenos. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.226

I

Quando cheguei a Santiago
o outono fugia das alamedas
feito um ladrão
                Latifúndios com nome de gente, famílias 
com nome de empresas
                                      também fugiam
                com dólares e dolores
                no coração
                Quando cheguei a Santiago em maio
                em plena revolução

II

Allende, em tua cidade
ouço cantar esta manhã os passarinhos
da primavera que chega.
Mas tu, amigo, já não os podes escutar

Em minha porta, os fascistas
pintaram uma cruz de advertência.
E tu, amigo, já não a podes apagar

No horizonte gorjeiam
esta manhã as metralhadoras
ta tirania que chega
                               para nos matar

E tu, amigo,
já nem as podes escutar.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!