Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2017

Precisamos falar sobre livros

Imagem
Por Danilo Venticinque

Vivemos discutindo filmes e séries de TV. Por que a literatura não pode ser tema de conversas cotidianas? O que você tem lido ultimamente? Há algum tempo decidi fazer um esforço consciente para perguntar isso às pessoas com quem encontrava no dia a dia. Eram poucos os que respondiam de imediato, citando os títulos dos últimos livros que despertaram seu interesse. A maioria enrolava, dizia que a vida andava corrida e tinha alguma dificuldade para lembrar o último livro que leu. Muitos desconversavam e mudavam de assunto imediatamente. Houve até quem mostrasse alguma irritação. Como se fosse um absurdo supor que todo mundo deveria estar lendo algum livro. Mesmo amigos que têm o hábito de ler reagiram com um pouquinho de perplexidade quando fiz essa pergunta. Não estamos acostumados a falar sobre livros no dia a dia. Soa até um pouco pedante questionar alguém sobre seus hábitos e preferências de leitura. Pergunte às mesmas pessoas sobre as séries que elas têm acompanhad…

Cadastre-se! Maiores de 14 anos não precisam estar acompanhados de seus responsáveis. É rápido e você já pode emprestar livros na hora.

Imagem
Tenha acesso ao regulamento completo aqui.

Como dizia Monteiro Lobato: "um país se faz com homens e livros." Precisamos aumentar essa média de livros por ano.

Imagem

Está na dúvida se pode ou não renovar o empréstimo do seu livro? Saiba aqui.

Imagem

Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Memória. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.189

menino no capinzal
                                caminha
nesta tarde e em outra outra
havida
          Entre capins e mata-pastos
          vai, pisa
          nas ervas mortas ontem
          e vivas hoje
          e revividas no clarão da lembrança 

          E há qualquer coisa azul que o ilumina
          e que não vem do céu, e se não vem
          do chão, vem
          decerto do mar batendo noutra tarde
          e no meu corpo agora
          -- um mar defunto que se acende o sabor
          de uma fruta
          ou a suja luz dos perfumes da vida
          ah vida!

4 Motivos Simples De Que Ler Os Clássicos Ajudarão Você A Ter Sucesso

Imagem
Como a maioria das pessoas lê Best Sellers impressos nos últimos 10 anos, deduz-se que praticamente ninguém está lendo os clássicos da literatura mundial.
Um estudo realizado pela Universidade de Liverpool, da Inglaterra, mostra como obras clássicas estimulam mais o cérebro do que literatura mais simples. Com a ajuda de scanners, o professor Philip Davis monitorou a atividade cerebral de 30 voluntários enquanto eles liam trechos de clássicos de William Shakespeare, T.S. Eliot, William Wordsworth e outras referências literárias britânicas. Os participantes da pesquisa também leram os mesmos trechos com linguagem simplificada. Os exames mostraram que a prosa mais “desafiadora” e a poesia geram muito mais atividade cerebral, do que a versão mais simples.

Os testes também comprovaram que a poesia, em especial, aumenta a atividade do hemisfério direito do cérebro, área relacionada a memórias autobiográficas. Isso sinaliza que a leitura ajuda o leitor a refletir e reavaliar suas próprias exp…

Oficina de Redação

Imagem
Em mais uma parceria com a Didasko Centro Educacional, oficina de redação com foco em delimitação de tema, coesão e outros aspectos para conseguir uma boa produção de um texto.

Serviço:
Auditório Pedro Dias Gonçalves, Biblioteca Monteiro Lobato
Rua João Gonçalves, 439 Centro Guarulhos
Informações: (11) 2087-6900 ou didasko.net.br
Entrada Gratuita
Indicação: 14 anos

Projeto Literatura em Questão apresenta: "Minha Vida de Menina".

Imagem
Com foco nas obras do vestibular, este sábado o Projeto apresenta a novidade da lista da FUVEST 2018: "Minha Vida de Menina", de Helena Morley.

Serviço:
Auditório Pedro Dias Gonçalves, Biblioteca Monteiro Lobato
Rua João Gonçalves, 439 Centro Guarulhos
Informações: (11) 2087-6900 ou didasko.net.br
Entrada Gratuita

Razões científicas para ler mais do que lemos

Imagem
Fonte: El PaísA leitura, além de melhorar a empatia e o entendimento dos demais, é um dos melhores exercícios possíveis para manter em forma o cérebro e as capacidades mentais.
Brasil tem mais leitores a cada ano. Em 2011, eram 50% da população. Em 2015, eram 56%, segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. Contudo, isso também significa que 44% da população não lê. Ainda pior: 30% nunca comprou um livro. Alguns argumentos científicos, em especial da neurociência, podem ajudar a melhorar esses índices.

São bilhões e milhões de leitores.

Imagem

40 Curiosidades incríveis sobre os livros

Imagem
Os países que mais consomem livros no mundo são, pela ordem: China, Estados Unidos, Japão, Rússia e Alemanha.O país com o maior número de livrarias são os Estados Unidos, com uma para cada 15 mil pessoas. No Brasil, existe uma para cada 70 mil habitantes.O livro mais caro do mundo chama-se The Birds of America (Os Pássaros da América), uma variada coletânea de ilustrações de pássaros feitas por John James Audubon (1 785 – 1 851), um naturalista do século XIX. Ele foi arrematado num leilão por 11,5 milhões de dólares.Os livros mais vendidos de todos os tempos são, por ordem: Bíblia, O Peregrino (autor: John Bunyan), O Livro Vermelho (de Mao Tsé-Tung), Alcorão e Dom Quixote (de Miguel de Cervantes).
A antiga biblioteca de Alexandria foi erguida por Ptolomeu I no século 3 a.C.. Ptolomeu era um dos generais de Alexandre, a quem coube a administração do recém-conquistado Egito. Calcula-se que ela tenha começado com apenas 200 manuscritos em papiro, mas que, em seu apogeu (século 2 a. C.), a…

"Não puxe minha orelha, por favor!"

Imagem
Sempre solicitamos aos usuários para não usar a orelha do livro como marcador de página. Talvez você se questione: se não posso usar para marcar onde parei na leitura do livro, então para que serve a orelha do livro?

Um pedaço da capa dobrado para dentro que possui o privilégio de ser mais lido que o próprio livro e que pode despertar o interesse dos leitores ou fazer a publicação encalhar nas prateleiras de uma livraria ou biblioteca. Isso porque antes de se aventurar na leitura de um livro, muitos leitores procuram informações sobre a publicação. Quem escreveu? Do que se trata a história? É um suspense, romance ou aventura? Tudo isso faz com que a orelha do livro seja uma forte referência e influência na escolha do leitor. No geral, a orelha pode ser assinada ou anônima. Muitas vezes é o próprio autor que vai decidir qual será, se irá convidar outro escritor (talvez um bem conhecido) para fazer a apresentação da sua obra, ou deixará a critério de um funcionário especializado no assunt…

Clarice e o presente

Imagem
Em geral considerada uma escritora mística e avessa às coisas do mundo, Clarice Lispector (1920-1977) _ a voz mais singular que a literatura brasileira produziu nas últimas décadas _ foi, na verdade, uma sensível intérprete do real. Quase 40 anos após sua morte, sua obra se conserva como um poderoso instrumento de interpretação e de interrogação da realidade. Clarice escrevia para chegar “atrás de detrás do pensamento”. Desconfiava das idéias feitas, dos lugares comuns e dos consensos. Não confiava na primeira leitura, exaltada e apressada, que costumamos fazer da realidade. Também não praticava a ficção com o propósito de espelhar o mundo, mas, ao contrário, de interrogá-lo. As perguntas que nos deixou valem muito mais do que a maior parte das respostas impacientes que ainda hoje formulamos para tentar viver.
São muitas as provas de seu engajamento. Escreveu certa vez: “O escritor não é um ser passivo que se limita a recolher dados da realidade, mas deve estar no mundo como uma presen…

Quanto mais livros em casa, melhor a capacidade de leitura da criança.

Imagem
Vitória Batistati - Revista Crescer 
No início deste mês, o jornal Pediatric Academic Societies Meeting publicou um novo estudo que mostra que a proximidade das crianças com os livros ainda na primeira infância pode aumentar as habilidades delas com o vocabulário e a leitura nos anos seguintes.
A descoberta dos pediatras foi reveladora: eles perceberam que aquilo que os bebês escutam nas leituras permanece com eles e exerce influência no aprendizado quatro anos depois, quando chega a hora de ingressar no ensino primário. Para chegar a esse resultado, os especialistas analisaram, durante quase 4 anos, a compreensão da linguagem e as habilidades de leitura em mais de 250 mães e seus filhos de 6 meses até eles completarem 4 anos e meio.
A conclusão a qual os pediatras chegaram foi é que, quantos mais livros a família tiver em casa, mais desenvolvida será a linguagem da criança no futuro. Como explica uma das cientistas responsáveis pelo estudo, famílias que possuem 100 livros em casa têm fi…

Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Maio 1964. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.169

Na leiteira a tarde se reparte
         em iogurtes, coalhadas, copos
         de leite
         e no espelho meu rosto. São
quatro horas da tarde, em maio.

Tenho 33 anos e uma gastrite. Amo 
a vida
        que é cheia de crianças, de flores
        e mulheres, a vida,
esse direito de estar no mundo,
        ter dois pés e mãos, uma cara
        e a fome de tudo, a esperança.
Esse direito de todos
        que nenhum ato
        institucional ou constitucional
        pode cassar ou legar.

Mas quantos amigos presos!
        quantos em cárceres escuros
        onde a tarde fede a urina e terror.
Há muitas famílias sem rumo nesta tarde
        nos subúrbios de ferro e gás
onde brinca irremida a infância da classe operária.

         Estou aqui. O espelho
não guardará a marca deste rosto,
         se simplesmente saio do lugar
         ou se morro
         se me matam.

         Estou aqui e não estarei, um dia,
e…

Biblioteca Indica: Cartas emocionam, seja em livros de ficção, seja na vida real.

Imagem
"Enviar uma carta é um bom meio de ir a algum lugar sem mover nada a não ser o coração."


MEYES, Jojo. A última carta de amor. Localização física: F M899u Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta à casa com o marido, ela tenta, em vão, recuperar a memória de sua antiga vida. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalhava. Obcecada com a ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte porque ela mesma está envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar “B”, sem desconfiar que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução pa…

Informação e orientação em mais uma palestra gratuita do Projeto Atualidades.

Imagem
É inegável que vivemos dias difíceis, a violência em toda sua plenitude tem envolvido grande parte da sociedade mundial. No Brasil, a violência tem feito milhares de vítimas, em alguns casos esse ato é praticado pela própria família, além de inúmeros outros ocorridos nas ruas.
A superlotação agrava a precariedade das penitenciárias. Celas lotadas, falta de condições sanitárias, entre outros problemas, contribuem para a violência interna e o crescimento das facções criminosas, ao facilitar o contato entre presos perigosos e os detidos por delitos leves, em vez de proporcionar sua recuperação para a sociedade. Essas e outras questões serão abordadas durante a palestra. 
Serviço: Biblioteca Monteiro Lobato, Auditório Pedro Dias Gonçalves Rua João Gonçalves, 439 Centro Guarulhos Entrada Gratuita Informações: (11) 2087-6900 

Biblioteca Indica: imigrando para um novo lar

Imagem
"Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento." Érico Veríssimo


ARANHA, Graça. Canaã. Localização física: F A68c Numa pequena colônia alemã do Espirito Santo, Milkau e Lentz vivem o desafio de construir uma nova vida em terra estrangeira. Canaã retrata a saga dos imigrantes europeus no Brasil no início do século e seu sonho de encontrar a "terra prometida". Mostrando o confronto entre visões de munto antagônicas e a violência dos preconceitos raciais, é uma obra fundamental para a compreensão da cultura brasileira.

Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Desastre. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.362

Há quem pretenda
      que seu poema seja
      mármore
      ou cristal -- o meu
o queria pêssego
              pera
              banana apodrecendo num prato
e se possível
numa varanda
onde pessoas trabalhem e falem
e donde se ouça
                          o barulho da rua.
              Ah quem me dera
              o poema podre!
a polpa fendida
             exposto
o avesso da voz
                          minando
             no prato
o licor a química
             das sílabas
                               o desintegrando-se cadáver
             das metáforas
             um poema
             como um desastre em curso.