Projeto Poesia às 2as.feiras

UOL Estilo

GULLAR, Ferreira. Poema poroso. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.349

De terra te quero:
poema,
e no entanto iluminado.

De terra
o corpo perpassado de eclipses,
poroso
poema
de poeira --
onde berram
suicidas e perfumes;
assim te quero

sem rosto
e no entanto familiar
como o chão do quintal

(sombra de todos nós depois
e antes de nós
quando a galinha cacareja e cisca).

De terra
onde para sempre se apagará
a forma desta mão
por ora ardente.


Postar um comentário