Biblioteca Indica: Sempre é tempo para bons sentimentos. Histórias de amor, paz, amizade, esperança, fé, lealdade, gratidão e solidariedade.

Imagem
"Todo o nosso conhecimento se inicia com sentimentos."


SCHOLES, Katherine; INGPEN, Robert. Tempos de paz. Localização: J S391t A Unesco, desde sua criação no final da Segunda Guerra Mundial, já declarava: As guerras nascem no espírito dos homens; logo, é no seu espírito que precisam ser erguidos os baluartes da paz. Aprenda a resolver pacificamente os problemas de sua vida - primeiro que tudo. Isso porque a paz começa com você. No seu próprio quintal. Ainda há as imagens belíssimas de Robert Ingpen que interagem com o tom questionador e reflexivo do livro. Sua leitura contribuirá para sensibilizar a criança a ter uma relação harmoniosa consigo mesma, com os outros e com a natureza.

GEE, Darien; KLESCK, Alice. O pão da amizade. Localização: F G263p Um presente anônimo conduz uma mulher a uma jornada que ela jamais poderia imaginar. Certa tarde, Julia Evarts e Gracie, sua filha de cinco anos, chegam em casa e encontram um presente na varanda da frente: um pão da amizade com o simpl…

Projeto Poesia às 2as.feiras


GULLAR, Ferreira. Ei, pessoal. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.208

Água doce na sombra:
         Rio azul
(era chamado assim pelo povo do Anil)
sombra de vozes claras
         (no
         ar? no arfar
         do coração?)
sombra de flor azul  no paladar
         sombra de flor
         sombra de sombra
         sombra de sombra de penumbra

A fábrica apitava às 11 horas
por cima do capinzal
As máquinas paravam de repente
sobre flores de chita
ainda incompletas
         (Marlene se matou
         por um vestido?)
A fábrica apitava às 11 horas
         sobre flores abertas
         sobre a água
         sobre risos que riam
         dentro d'água
As máquinas paravam de repente
         sobre a vida

Onde anda você, Maria Lúcia?
Esmagado, Maninho, Raimundinho?
Onde andam vocês, Adi, Dodô?

A garagem a quitanda os oitizeiros
        onde andam vocês
se há muitos anos derrubaram o quartel?
        se há muitos anos
destruíram Hiroxima, a Gestapo
        a Gespapo
e o poeta jogou-se da amurada
onde a gente brincava?

        Onde andam vocês
        agora
        debaixo desta chuva?
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura