Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. O lampejo. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.356

O poema não voa de asa-delta
não mora na Barra
não frequenta o Maksoud.
Pra falar a verdade, o poema não voa:
anda a pé
e acaba de ser expulso da fazenda Utupu
                                           pela polícia.

Como mal dorme mal cheira a suor,
parece demais com o povo:
                                            é assaltante?
                                            é posseiro?
                                            é vagabundo?
frequentemente o detêm para averiguações
          às vezes o espancam
          às vezes o matam
          às vezes o resgatam
          da merda
                         por um dia
e o fazem sorrir diante das câmeras da TV
de banho tomado.

O poema se vende
                se corrompe
confia no governo
desconfia
de repente se zanga
e quebra trezentos ônibus nas ruas de Salvador.

O poema é confuso
mas tem o rosto da história brasileira:
               tisnado de sol
   …

“A virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que o talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como seu sorriso...."



Literatura em Questão

Biblioteca Monteiro Lobato, Auditório Pedro Dias Gonçalves
25/ sábado - 13h
A Secretaria de Cultura, em parceria com a Didasko Centro Educacional, promove palestra sobre os livros indicados para os vestibulares da Fuvest, Unicamp e PUC-SP. Neste mês a palestra é sobre o livro “Iracema” de José de Alencar. Junto com O Guarani e Ubirajara, ele faz parte do ciclo indianista do autor, exaltando o nativo do Brasil e buscando criar uma literatura romântica “genuinamente brasileira”. Cada um dos romances do ciclo indianista representa uma fase do encontro do europeu com o índio: Ubirajara representa o índio antes da chegada do europeu, Iracema o primeiro encontro dos dois, e O Guarani o índio já integrado na sociedade colonial. Iracema é também uma metáfora para o surgimento da terra-natal de Alencar, o Ceará.

Informações: 2087-6900 e www.didasko.net.br.
Entrada franca.
Indicação: livre.
Rua João Gonçalves, 439, Centro Guarulhos


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura