Compartilhe suas indicações.

Imagem
"Livros não mudam o mundo. Livros mudam as pessoas.  As pessoas mudam o mundo."
Participe do Projeto "Eu Indico!". Retire um folheto na recepção superior da Biblioteca Monteiro Lobato e divida com a gente o porquê de ele merecer um lugar especial na sua lista de livros preferidos. Sua indicação ficará exposta no nosso mural e ainda pode ganhar um destaque especial em nossas redes sociais.

BIBLIOTECA INDICA: SEMANA DA CULTURA NORDESTINA


Fonte:www.militaodossantos.com.br
A cultura do Nordeste apresenta 
características próprias herdadas da interação da cultura dos colonizadores portugueses, dos negros e dos índios. É importante destacar que a cultura representa uma complexa teia, na qual estão incluídos os conhecimentos, os costumes, as artes, as crenças, os cultos religiosos, a literatura popular, as danças e os hábitos, de determinado grupo.
Dessa forma, a cultura do Nordeste brasileiro, região formada pelos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia, desenvolveu hábitos próprios com relação ao mundo e às manifestações culturais, herdados de geração em geração.

Fonte:www.militaodossantos.com.br

Manifestações Culturais

Algumas das manifestações culturais que mais se destacam na região nordeste do Brasil são: as festas juninas, o Reisado, a poesia popular, o artesanato, a capoeira, o frevo e a culinária.

Oxente,  se achegue mais então que nosso post está arretado!

E não há como não se deliciar com o sotaque e as expressões do povo nordestino. Confira algumas: 

Riscar a faca = Brigar.
Cair na gandaia = ir para uma festa.
Pegar o beco = ir embora
Sentar o sarrafo = dar uma surra.
Balaio de gato = confusão.
Tomar uma = beber um drink.
Sujeito cagado = pessoa de sorte.
Se abrir = rir
Tomar garapa = beber água com açúcar.
Dar fé = perceber alguma coisa.
Desmantelado = Maluco, muito doido.
Em riba – Em cima.
- Fez mal = Engravidou alguém.
Eu cegue = Eu aposto, eu dou minha palavra.
Fuleiro = Sem valor.
Mundiça = Gente pobre, “povão”. “Na praia só tinha mundiça”
Mangar = Ridicularizar. “Aquele cara vive mangando de mim por causa do meu cabelo!”

E é claro que não podem faltar nossas indicações de livros para você se transportar para essa que é uma das regiões mais ricas de nosso país e ao mesmo tempo que enfrenta tantas dificuldades.

SENNA, Costa; Erivaldo. Cordéis que educam e transformam.
Localização física: 398.5 S481c
Nestes cordéis que educam e transformam, o poeta multiartista Costa Senna coloca o dedo nas feridas da humanidade e, com seus cordéis, aborda com simplicidade e desenvoltura esses temas do nosso dia a dia. Participação na política, alfabetização, uso consciente dos recursos naturais são motes pinçados pelo autor para, de forma lúcida e envolvente, levarem os leitores a refletirem diante de escolhas que serão determinantes em seus destinos. Representante de um sopro renovador na literatura de cordel, Costa Senna, neste livro, motiva todos a alcançarem novos voos em suas vidas, indicando que é possível pensar nas transformações que o mundo necessita através das criações nesse gênero da nossa poesia.


Elias José; BORGES, J. Ciranda brasileira: poemas inspirados nas xilogravuras.
Localização física: 398.5 J71c
O livro traz poemas inspirados no folclore do norte-nordeste do Brasil, sempre acompanhados dos desenhos do ilustrador. Lampião, Bumba-meu-boi e o Frevo são só alguns dos temas. O escritor Ariano Suassuna é talvez a maior influência dos dois artistas envolvidos nesse projeto, merecendo até citações na obra. Mais do que um livro de poemas, Ciranda Brasileira é a exaltação da cultura e da arte do Brasil e de sua gente. Os dois responsáveis pela obra fazem questão de valorizar isso, e contam com o leitor na proliferação desse espírito. Vale lembrar que o livro faz parte da coleção Mistura Brasileira, que ainda conta com mais títulos que deixam expostos todo o sentimento de carinho de seus autores.


LISPECTOR Clarice. A hora da estrela.
Localização física: F L753c
A Hora da Estrela - A história da nordestina Macabéa é contada passo a passo por seu autor, o escritor Rodrigo S.M. (um alter-ego de Clarice Lispector), de um modo que os leitores acompanhem o seu processo de criação. À medida que mostra esta alagoana, órfã de pai e mãe, criada por uma tia, desprovida de qualquer encanto, incapaz de comunicar-se com os outros, ele conhece um pouco mais sua própria identidade. A descrição do dia-a-dia de Macabéa na cidade do Rio de Janeiro como datilógrafa, o namoro com Olímpico de Jesus, seu relacionamento com o patrão e com a colega Glória e o encontro final com a cartomante estão sempre acompanhados por convites constantes ao leitor para ver com o autor de que matéria é feita a vida de um ser humano.

CUNHA, Euclides. Os Sertões.
Localização física: F C977s
Os Sertões - A obra descreve as batalhas entre os homens liderados por Antonio Conselheiro e o exercito brasileiro, de acordo com a visão de Euclides da Cunha. Com seu estilo jornalistico-épico, traca um retrato dos elementos que compõem a guerra de Canudos: a Terra, o Homem e a Guerra.



VILELA, Fernando. Lampião e Lancelote.
Localização física: 398.5 V755L
O encontro lendário entre o grande cangaceiro do sertão nordestino e um dos cavaleiros medievais da Távola-Redonda. Foi a idéia deste embate inusitado que fez o ilustrador, e agora autor, Fernando Vilela compor uma obra extremamente original, na qual Lampião desafia Lancelote a um verdadeiro 'duelo', que se dá na forma de um repente nordestino. Vilela mescla dois universos distantes, tanto no que tange ao texto - que utiliza ora a sextilha do Cordel, ora a narrativa em prosa - quanto às ilustrações. As imagens refletem o ambiente sertanejo pelas xilogravuras e o medieval pelo carimbo e desenhos inspirados em iluminuras e pinturas renascentistas. As cores prateado e cobre indicam, respectivamente, Lancelote e Lampião, com tons reluzentes que preenchem as páginas em contraste com o negro. Neste livro de grandes dimensões, como os antigos livros de história, o leitor encontrará quadros de uma beleza plástica deslumbrante.


Fonte: www.todamateria.com
https://poemia.wordpress.com
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!