Projeto Poesia às segundas-feiras


BRECHT, Bertolt; SOUZA, Paulo César de (organizador e tradutor). Sobre a mudança da humanidade para as grandes cidades no início do terceiro milênio. IN: Poemas (1913-1956). São Paulo, editora 34, p.30

Muitos dizem que esse tempo é velho
Mas eu sempre soube que é um novo tempo
Eu lhes digo: não é por si mesmas
Que há vinte anos as casas nascem como montanhas de minério
Muitos mudam-se a cada ano para as cidades como se esperassem algo
E nos continentes risonhos
Fala-se que o grande e temido mar
É uma poça de água.

Eu morro hoje, mas tenho a certeza
De que as grandes cidades esperam agora o terceiro milênio
Ele começa, não há como detê-lo, hoje mesmo
Precisa apenas de um cidadão, e um único homem
Ou mulher basta.

É certo que muitos morrem nas reviravoltas
Mas o que signifca um indivíduo ser esmagado por uma mesa
Quando as cidades se juntam:
Esse novo tempo dura apenas quatro anos
Ele é o mais elevado que a humanidade recebe
Em todos os continentes veem-se homens estrangeiros
Os infelizes não são mais tolerados, pois
Ser homem é uma grande coisa.
A vida será considerada muito curta.
Postar um comentário