BIBLIOTECA INDICA: VESTIBULANDO, COMECE A SE PREPARAR DESDE JÁ!

10 DICAS PARA VOCÊ SE DAR BEM NO VESTIBULAR:

Fonte: universia.com
- Começar a prova pelas matérias que você sabe. 
- Desenvolver um esquema de estudo que tenha a ver com você, lendo, fazendo resumos, resolvendo exercícios, assim se consegue ter uma alta qualidade de estudo.
- Uma prova bem feira exige, além de conhecimento, um bom preparo psicológico, para não ficar nervoso na hora da prova e acabar tendo o temido "branco".
- Reproduzir a matéria com as próprias palavras é uma boa forma de fixar e aprender.
- Não faltar em nenhuma aula e sempre fazer os exercícios propostos.
- Conseguir ter uma leitura crítica.
- Aproveitar todas as fontes de informação que nos cercam, como jornais, revistas e blogs, e sempre se manter atualizado. 
- Entender que o vestibular não é o fim do mundo e que ele é igual para todos.
- Saber que pode mudar de curso é fundamental para não encarar o vestibular como um bicho de sete cabeças.
- Ter em mente que alguma educação é melhor que nenhuma: sempre tenha um plano B.

Agora que você já ficou sabendo de algumas dicas não se esqueça de ficar por dentro também dos livros que estão na lista deste ano!


GARRET, Almeida. Viagens na minha terra.
Localização física: F G224v
Almeida Garret foi o iniciador do movimento romântico em Portugal, que renovou a poesia, o teatro e a ficção sobre bases nacionais. Garret, além de romancista, escreveu várias peças de teatro, entre as quais Frei Luís de Souza Em Viagens na Minha Terra, (1846), que apareceu primeiramente na revista Universal Lisboense Almeida Garret atinge surpreendente profundidade psicológica para sua época. No início do livro, Garret declara: "De como o autor deste erudito livro se resolveu a viajar na sua terra, depois de ter viajado no seu quarto; e como resolveu imortalizar-se escrevendo estas suas viagens".


ALMEIDA, Manuel Antônio de. Memórias de um sargento de milícias.
Localização física: F A449m
Com um único romance que escreveu aos 21 anos - "Memórias de um Sargento de Milícias" - Manuel Antônio de Almeida conquistou na literatura brasileira uma posição também única, fixando a tradição do romance urbano e pressagiando Machado do Assis.



QUEIROZ, Eça de. A cidade e as serras.
Localização física: F Q43c
Romance publicado postumamente, em 1901, “A cidade e as serras” faz uma crítica mordaz ao estilo de vida que se desenvolve na Europa em meio ao progresso material do fim do século XIX. Filho de uma abastada família portuguesa, Jacinto, o protagonista, nutre grande entusiasmo pelo brilho das cidades europeias. Mas sua estada em Paris transcorre em meio ao tédio e o vazio. Ele parte então de volta às suas origens e reencontra a paz e o contentamento na vida simples do campo.


AMADO, Jorge. Capitães da areia.
Localização física: F A494c
Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes. Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade.


ALENCAR, José de. Til.
Localização física: F A353c
Esta obra é uma marca da fase regionalista de José de Alencar, na qual ele retrata os costumes, a linguagem e o modo de viver rural. A temática de Til não foge aos modelos românticos, e trata a inocência, o amor como o centro de tudo, a valorização da fragilidade, a remissão dos pecados e a idealização da natureza; tudo com boa dose de subjetividade. A narrativa se desenvolve lentamente, sem acontecimentos especiais ou espetaculares, apenas pequenos e cotidianos episódios.


ANDRADE, Carlos Drummond de. Sentimento do mundo.
Localização física: P566s
 “Sentimento do mundo” procura mostrar o poeta mineiro atento aos acontecimentos políticos de sua época. Esse Drummond visto como humanista lamenta que as pessoas mantenham olhos cerrados para o mundo, a ponto de permitir a violência - a Segunda Guerra Mundial e a ditadura getulista - e de trocar a compaixão pelo egoísmo de quem vive fechado em si mesmo ou em um 'terraço mediocremente confortável'. Tal responsabilidade coletiva se dá inclusive nos poemas em que o autor aborda temas mais pessoais, como 'Revelação do subúrbio', no qual um retorno a Minas Gerais o desperta para a tristeza da noite vista pela janela do carro. A visão de mundo sombria e pouco otimista não o impede de ser lírico nos 'Menino chorando na noite' e 'Noturno à janela do apartamento'. E ainda sobra tempo para Drummond homenagear o amigo Manuel Bandeira, num 'apelo de um homem humilde' que funciona ainda como um elogio e uma reflexão sobre o fazer poético.



AZEVEDO, Aluísio de. O cortiço.
Localização física: F A986c
A obra busca recriar a realidade dos agrupamentos humanos sujeitos à influência da raça, do meio e do momento histórico. O predomínio dos instintos no comportamento do indivíduo, a força da sensualidade da mulher mestiça, o meio como fator determinante do comportamento são algumas das teses naturalistas defendidas pelo autor ao lado de denúncias sociais. O protagonista do romance é o próprio cortiço, onde se acotovelam lavadeiras, trabalhadores de pedreira, malandros e viúvas pobres.


ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas.
Localização física: F A866m
Este romance é um divisor de águas na obra de Machado de Assis e na história da literatura brasileira. Enquanto apresenta ao leitor um retrato nada condescendente de si mesmo, o irônico Brás Cubas revela os podres da elite brasileira do séc. XIX. O casamento, o adultério, o comportamento das pessoas, nada escapa à sua visão aguda e implacável.


RAMOS, Graciliano. Vidas secas.
Localização física: F R143v
Em ´Vidas Secas´, o autor se mostra mais humano, sentimental e compreensivo, acompanhando o pobre vaqueiro Fabiano e sua família com simpatia e uma compaixão indisfarçáveis. Além de ser o mais humano e comovente dos livros de ficção de Graciliano Ramos é o que contém maior sentimento da terra nordestina, daquela parte que é áspera, dura e cruel, sem deixar de ser amada pelos que a ela estão ligados teluricamente. O que impulsiona os seres desta novela, o que lhes marca a fisionomia e os caracteres, é o fenômeno da seca. ´Vida Secas´ representa ainda uma evolução na obra de Graciliano Ramos quanto ao estilo e à qualidade estritamente literária.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!