BIBLIOTECA INDICA: FIM DA ESCRAVIDÃO? LIBERDADE, AINDA QUE TARDIA.

"Liberdade (...) Não há ninguém que a explique, nem ninguém que não a entenda."Cecília Meirelles

AZEVEDO, Aluísio. O mulato.
Localização física: F A986m
Publicado em 1881, o primeiro romance do escritor maranhense é um libelo contra o preconceito racial. A questão abolicionista é tratada por meio de peripécias que acontecem em São Luís do Maranhão, na época a mais escravagista capital brasileira. O romance nos fornece uma boa visão do meio maranhense da época. Raimundo é mulato, mas ignora a própria cor e a sua condição de filho de escravo. Sendo doutor, estudara na Europa, não consegue entender as reservas que lhe faz a alta sociedade de São Luís. O personagem é dotado de encantos e poder sedutor junto às mulheres; o que não deixa de, pela idealização, aproximá-lo das personagens românticas.


ALVES, Castro. Os escravos.
Localização física: P A478e
O poeta baiano Antonio Frederico de Castro Alves (1847-1871) é considerado um dos mais importantes poetas brasileiros de todos os tempos. De formação cultural sofis-ticada, construiu sua poesia sobre temáticas eminentemente brasileiras, alcançando uma admirável compreensão da alma popular. Com seu lirismo exacerbado compôs poemas antológicos do romantismo brasileiro, mas não afastou-se jamais de sua veia libertária de onde emergiu o poeta social, o republicano, o grande abolicionista, o cantor dos escravos. Alguns poemas, como O navio negreiro e Vozes d´África, obtiveram enorme sucesso popular quando declamados pelo poeta e se transformaram em verdadeiras bandeiras na luta contra a escravidão. O livro Os escravos foi publicado de forma independente pela primeira vez em 1883.


STOCKETT, Kathryn; CHANG, Caroline. A resposta.
Localização física: F S88r
Uma história emocionante e estarrecedora onde a cor da pele das pessoas determina toda a sua vida, ambientada no Mississippi em 1962, durante a gestação do movimento dos direitos civis nos EUA. Um livro que, devido ao seu tema, chegou a ser recusado por quase sessenta editoras antes de ser publicado. É um livro para ser lido por adolescentes, adultos, pois nos faz refletir no respeito que devemos ter ao próximo, independente da raça, atividade exercida, origem, classe social. Mostra a histórias de mulheres batalhadoras sob a ótica de uma jovem recém-formada que sonha em ser escritora. Mostra também a soberba e hipocrisia da sociedade americana dos anos 60.




RIBEIRO, João Ubaldo. Viva o povo brasileiro.
Localização física: F R369v
Obra que confirmou definitivamente o lugar de João Ubaldo Ribeiro entre os maiores escritores de língua portuguesa. Consagrado pela crítica e pelos leitores e considerado um dos mais importantes romances da literatura nacional, o livro se volta às origens do Recôncavo Baiano para recriar quase quatro séculos da história do país por meio da saga de múltiplos personagens.O livro engloba questões como a repercussão das teorias pós-coloniais na América Latina e discute conceitos como nação e identidade, (re)contando histórias do negro no Brasil a partir de sua visão de mundo.



FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala: formação da família brasileira pelo regime da economia patriarcal.
Localização física: 316 F943c
Gilberto Freyre foi buscar nos diários dos senhores de engenho e na vida pessoal de seus próprios antepassados a história do homem brasileiro. As plantações de cana em Pernambuco eram o cenário das relações íntimas e do cruzamento das três raças: índios, africanos e portugueses. Em Casa-Grande & Senzala, o escritor exprime claramente o seu pensamento. Os índios foram submetidos ao cativeiro e à prostituição. A relação entre brancos e mulheres de cor foi a de vencedores e vencidos.


PATE, Alexs. Amistad.
Localização física: F P
Baseado na história real do motim a bordo do navio negreiro espanhol, Amistad, em 1839, este romance conta a seqüência dos acontecimentos que levaram 43 homens e mulheres - e uma jovem nação - a lutar por liberdade e justiça.






BENTO, Maria Aparecida Silva; GUIZZO, João. Cidadania em preto e branco: discutindo as relações raciais.
Localização física: 316.647.8 B42c 

Qual o papel do negro na sociedade? Será mesmo que existem raças diferentes? Para que serve o estereótipo? Discriminação é crime? É preciso disfarçar o preconceito? "Cidadania em Preto e Branco" aborda essas e outras questões, e convida você ao diálogo sobre o tema.






MARQUES, Ângela Cristina; VILELA, Andréa. Bruno Zumbi.
Localização física: J M315b
O diário de um adolescente tão comum e ao mesmo tempo tão especial: Bruno, rapaz negro, convivendo com a dubiedade de nossa sociedade, disfarçadamente racista. Bruno é um jovem herói do cotidiano, como tantos que passam despercebidos e podem até ser destruídos pelo preconceito e pela incompreensão.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura