Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Glauber morto. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.351

O morto não está de sobrecasaca
não está de casaca
não está de gravata.

O morto está morto

não está barbeado
não está penteado
não tem flor na lapela
um flor 
na calça
sapatos de verniz

não finge de vivo
não vai tomar posse 
na Academia.

O morto está morto
em cima da cama
no quarto vazio.

Como já não come
como já não morre
enfermeiras e médicos
não se ocupam mais dele.

Cruzaram-lhe as mãos
ataram-lhe os pés.

Só falta embrulhá-lo
e jogá-lo fora.



Biblioteca Indica: Dia Mundial da Água


Você sabia que apenas 0,008% de toda água do planeta é própria para o consumo? 
Você sabia que se a poluição e o desperdício não diminuírem, em 20 anos poderá faltar água para 60% do planeta?
Só percebemos o valor da água depois que a fonte seca.



PETRELLA, Ricardo; JOSCELINE, Vera Lucia Mello. O manifesto da água: argumentos para um contrato mundial.
Localização física: 628.1 P586m
Um bilhão e meio de pessoas não tem acesso à água potável em quantidade suficiente; dois bilhões, à água de qualidade adequada. Se permanecer a atual tendência, em vinte anos esse número dobrará: mais de três bilhões não terão acesso à água potável segura e cinco bilhões enfrentarão problemas sérios de escassez e qualidade da água. A poluição, a exploração desordenada, a destruição ambiental, o crescimento demográfico e os interesses mercantis estão diminuindo a qualidade e a distribuição democrática da água no mundo inteiro. É possível viver sem internet, sem petróleo ou mesmo sem conta bancária. Mas não se vive sem água. 

REÚSO DE ÁGUA.
Localização física: 556 R346
Este livro agrega conhecimentos ao atendimento e aplicações do reúso de água, de modo a permitir que profissionais e todos aqueles que se interessam por este tema, notadamente um dos mais importantes do século, desenvolvam estudos e projetos associados ao campo de conhecimento em referência. São indicados a importância e o potencial do reúso de água no Brasil, destacando-se os usos benéficos mais significativos, ou seja, urbanos, industriais, recarga artificial de aqüíferos e agrícolas. Especial atenção é dada a aspectos de saúde pública associados ao reúso agrícola de esgotos e biossólidos, abordando-se o estabelecimento de critérios, diretrizes e padrões baseados em processos técnico-científicos e evidências epidemiológicas. 


VILLIERS, Marq de; KOCERGINSKY, José. Água.
Localização física: 556 V782a
Em 'Água', o autor nos apresenta um diagnóstico comentado da distribuição dos recursos hidráulicos no mundo, alertando para a crescente desertificação do planeta e suas implicações. Uma questão atual que envolve o futuro da própria humanidade. 

BRANDÃO, Ignácio de Loyola. Não verás país nenhum.
Localização física: F B817n
O livro se desenrola em um futuro não determinado, mas cada vez mais presente na realidade do brasileiro. Uma época terrível, na qual a Amazônia se transformou em um deserto sem nenhuma árvore; onde "O lixo forma setenta e sete colinas que ondulam, habitadas, todas. E o sol, violento demais, corrói e apodrece a carne em poucas horas"; onde a carência de água impõe a reciclagem da urina, bebida pelas pessoas. A administração do país chegou ao caos. Governantes medíocres, cada vez mais afastados do povo, interessados apenas em vantagens pessoais, uma polícia corrupta e assustadora. No meio desse mundo sombrio, uma história de amor, na qual o autor sugere que nem tudo está perdido, pelo menos enquanto o bicho-homem alimentar esperanças e for capaz de gestos de generosidade.

RAMOS, Graciliano. Vidas secas.
Localização física: F R143v
O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro. O estilo é certamente o mais puro e característico de Graciliano Ramos, escritor que se tornou o clássico moderno da literatura brasileira.
RIO SÃO FRANCISCO RIVER.
Localização física: 913(282.281.5) R452
No topo da serra nasce um pequeno veio d'água. Cristalino, desliza encosta abaixo aninhando-se num sinuoso vale. Poucos metros à frente, já é rio. Ganha volume, aprofunda e alarga seu leito, para depois percorrer mais de 3.000 quilômetros do terrotório brasileiro em direção ao mar. Levando a esperança em suas águas, o rio São Francisco é uma das marcas culturais do país. Percorrer o Velho Chico é entrar em contato com um dos mais belos cenários brasileiros. É, também, travar contato com a imensa força que molda a identidade cultural de uma região.


BELLINGHAUSEN, Ingrid Biesemeyer. O mundinho azul.
Localização física: J B385m
Observado de longe, o nosso mundo tem coloração azul por causa dos oceanos que ocupam a maior parte de sua superfície. A água é um recurso natural precioso, e é hora de se preocupar com ela. Se as crianças descobrirem logo a importância de preservá-la, contribuirão para o futuro dos 'homenzinhos' deste 'mundinho azul' e do meio ambiente.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!