Projeto Poesia às segundas-feiras


QUINTANA, Mário. Criatividade. IN: Porta giratória. São Paulo, Globo, 1988. p.22

Desconfiar  da observação direta. Um romancista de lápis em punho  no meio da vida -- esse atento senhor acaba fazendo apenas reportagens. É melhor esperar que a poeira baixe, que as águas resserenem: deixar tudo à deriva da memória. Porque a memória escolhe, recria. Quanto ao poeta, que nunca se lembra, inventa. E fica mais perto da verdadeira realidade.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!