Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Poema. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.217
Se morro o universo se apaga como se apagam as coisas deste quarto                                     se apago a lâmpada: os sapatos-da-ásia, as camisas e guerras na cadeira, o paletó- dos-andes,          bilhões de quatrilhões de seres e de sóis          morrem comigo.
Ou não:           o sol voltará a marcar           este mesmo ponto do assoalho           onde esteve meu pé;                                          deste quarto           ouvirás o barulho dos ônibus na rua;             uma nova cidade             surgirá de dentro desta             como a árvore da árvore.
Só que ninguém poderá ler no esgarçar destas nuvens a mesma história que eu leio, comovido.

Projeto Poesia às segundas-feiras


BANDEIRA, Manuel; JOSÉ, Elias (Org.); NERY, Marie Louise (ilust.) Berimbau. 
IN: Berimbau e outros poemas2a.ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 1988. p.11

Os aguapés dos aguaçais
Nos igapós dos Japurás
Bolem, bolem, bolem.
Chama o saci: – Si si si si!
Ui ui ui ui ui! Uiva a iara
Nos aguaçais dos igapós
Dos japurás e dos Purus.

A mameluca é uma maluca.
Saiu sozinha da maloca -
O boto bate – bite bite...
Quem ofendeu a mameluca?
Foi o boto!
O Cussaraim bota quebrantos.
Nos aguaçais os aguapés
Cruz, canhoto! –
Bolem... Peraus dos Japurás
De assombramentos e de espantos! …

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura