Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Glauber morto. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.351

O morto não está de sobrecasaca
não está de casaca
não está de gravata.

O morto está morto

não está barbeado
não está penteado
não tem flor na lapela
um flor 
na calça
sapatos de verniz

não finge de vivo
não vai tomar posse 
na Academia.

O morto está morto
em cima da cama
no quarto vazio.

Como já não come
como já não morre
enfermeiras e médicos
não se ocupam mais dele.

Cruzaram-lhe as mãos
ataram-lhe os pés.

Só falta embrulhá-lo
e jogá-lo fora.



Projeto Poesia às segundas-feiras




CAPPARELLI, Sérgio; GRUSZYNSKI, Ana. 111 poemas para crianças. 5a.ed. Porto Alegre, L&PM, 2006. p.26

Estação café

Pasteis Santa Clara,
Bem-casados com ambrosia,
Caramelados com nozes,
E bombas de baunilha.

Senhora dona doceira,
Me tira dessa agonia!

Mil folhas e broinhas,
Com geléias e pavê,
Fios de ovos, apfelstrudel
Maçãs flambadas, não vê?

Qual é o doce mais doce?
O doce mais doce? Você!

Pães de queijo, ovos moles,
Olho de sogra, doce de abóbora
Pingos de chuva, algodão doce,
Doce, ó doce, senhora!

Senhora dona doceira,
Doce aqui e agora.

E agora, bem no fim,
Eu recuso maria-mole,
Mas nós dois, bem juntim
Agarradim, rocambole.
 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!