Poesia às segundas-feiras

Fecharam-me na Prosa
Como em Menina
Me punham no Quarto Escuro
Porque me queriam "quietinha"

Quietinha! Se me pudessem espreitar
E ver o meu cérebro - andar de roda
Melhor seria terem amarrado um Pássaro
Por Traição - ao Pelourinho

Basta-lhe querer.
E com uma ligeireza de Estrela
Liberta-se do Cativeiro
E ri-se - também eu não preciso de mais
DICKINSON, Emily. Poemas e cartas: antologia para um recital. Lisboa, Cotovia, 2000. p.77
(c. 1862)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!