Poesia Às segundas-feiras

Em comemoração a Semana Santa publicamos a poesia do poeta e sacerdote Ernesto Cardenal

Escuta o meu protesto (Salmo 5)

Escuta as minhas palavras oh Senhor

Ouve os meus gemidos
Escuta o meu protesto
Porque Tu não és amigo dos ditadores
nem partidário de sua política
não te influencia a propaganda
nem fizeste sociedade com o gângster

Não há sinceridade em seus discursos
nem em suas declarações de imprensa

Falam de paz
enquanto aumentam sua produção de guerra

Falam de paz nas Conferências de Paz
e em segredo se preparam para a guerra

Suas rádios mentirosas rugem toda a noite
Os seus escritórios estão cheios de planos criminosos e de expedientes sinistros
Mas Tu me salvarás de seus planos

Falam com a boca das metralhadoras
As suas línguas reluzentes são as baionetas

Castiga-os oh Deus
malogra a sua política
confunde os seus memorandos
impede os seus programas

À hora do sinal de alarme
Tu estarás comigo
Tu serás o meu refúgio no dia da Bomba

Aqueles que não acreditam na mentira de seus anúncios comerciais
nem nas suas campanhas publicitárias
nem em suas campanhas políticas

Bendize-os
Protege-os com o teu amor
como se fossem tanques blindados

CARNENAL, Ernesto. As riquezas injustas: antologia poética. São Paulo, Círculo do Livro, c. 1977. pp.17-19; 23-25.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura