Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Poema. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.217
Se morro o universo se apaga como se apagam as coisas deste quarto                                     se apago a lâmpada: os sapatos-da-ásia, as camisas e guerras na cadeira, o paletó- dos-andes,          bilhões de quatrilhões de seres e de sóis          morrem comigo.
Ou não:           o sol voltará a marcar           este mesmo ponto do assoalho           onde esteve meu pé;                                          deste quarto           ouvirás o barulho dos ônibus na rua;             uma nova cidade             surgirá de dentro desta             como a árvore da árvore.
Só que ninguém poderá ler no esgarçar destas nuvens a mesma história que eu leio, comovido.

VARAL DE POESIAS - Fevereiro 2010



“Carnaval” e “Libertinagem”
Biblioteca Monteiro Lobato
1º a 28
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e sábado, das 9h às 14h, exceto feriados.



Exposição de poemas do pernambucano Manuel Bandeira (1886- 1968), retirados dos livros Carnaval e Libertinagem. O Varal deste mês apresenta colombinas, arlequins e pierrôs em relações apaixonadas, ingênuas, cínicas e até mesmo em bacanais – “Evoê Baco!” –; como também em poesias modernistas e cadenciadas, que servem como pano de fundo para o sutil relato autobiográfico do poeta. A identidade conceitual foi concebida pelos arte-educadores André Okuma e Marina Pinto, baseado nas obras de Gustav Klimt, vanguardista vienense. Mais informações sobre a exposição no 2087-6900. Entrada franca. Rua João Gonçalves, 439, Centro.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura