Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. O lampejo. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.356

O poema não voa de asa-delta
não mora na Barra
não frequenta o Maksoud.
Pra falar a verdade, o poema não voa:
anda a pé
e acaba de ser expulso da fazenda Utupu
                                           pela polícia.

Como mal dorme mal cheira a suor,
parece demais com o povo:
                                            é assaltante?
                                            é posseiro?
                                            é vagabundo?
frequentemente o detêm para averiguações
          às vezes o espancam
          às vezes o matam
          às vezes o resgatam
          da merda
                         por um dia
e o fazem sorrir diante das câmeras da TV
de banho tomado.

O poema se vende
                se corrompe
confia no governo
desconfia
de repente se zanga
e quebra trezentos ônibus nas ruas de Salvador.

O poema é confuso
mas tem o rosto da história brasileira:
               tisnado de sol
   …

VARAL DE POESIAS - JUNHO 2009


Biblioteca Monteiro Lobato

De 01 a 30 de Junho
De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30, e sábado, das 9h às 13h30, exceto feriados.

Luciano Dias Soares é um dos grandes escritores urbanos da cidade. Com uma escrita despojada, usa informações clássicas, cultura de massas -como música pop e HQ - e elementos experimentais para fazer um retrato da paisagem urbana. Bêbados, vendedores, mulheres, ganham representação em sua poesia ácida, terna, criativa. Espinhoso, dolorido, deixa escapar instantes de ternura ao falar de outros. Há mais de vinte anos, influenciado por concretos, Manoel Bandeira e poetas marginais, sua poesia frequenta espaços artísticos em nossa cidade: com exposições, adaptações, músicas, inclusão em documentário.Haverá exposição de seus textos durante o mês no "Varal" da Biblioteca Monteiro Lobato, e um encontro no dia 26, para falar de sua escrita, com a participação de colaboradores seus e intervenção da Antropoesia, com versões musicadas de seus textos.

Entrada franca.
Rua João Gonçalves, 439, Centro.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!

Programa Agentes de Leitura