Projeto Poesia às 2as.feiras

Imagem
GULLAR, Ferreira. Glauber morto. IN: Toda poesia (1950-1999). 10ed., Rio de Janeiro, José Olympio, 2001. p.351

O morto não está de sobrecasaca
não está de casaca
não está de gravata.

O morto está morto

não está barbeado
não está penteado
não tem flor na lapela
um flor 
na calça
sapatos de verniz

não finge de vivo
não vai tomar posse 
na Academia.

O morto está morto
em cima da cama
no quarto vazio.

Como já não come
como já não morre
enfermeiras e médicos
não se ocupam mais dele.

Cruzaram-lhe as mãos
ataram-lhe os pés.

Só falta embrulhá-lo
e jogá-lo fora.



VARAL DE POESIAS - MARÇO/2009


Biblioteca Monteiro Lobato / Espaço do Escritor
De 02 a 31 de Março

Poucos poetas na história da literatura brasileira atingiram êxito em obras de variados metros, ritmos, estilos e temas. Uma obra que passe pela lírica amorosa à moda de Camões e poemas ácidos que tocam os meandros mais sujos da humanidade com paradas pelo clamor à liberdade e à defesa aos menos favorecidos, são presenças na poética do autor homenageado neste mês de Março, Castro Alves. Em comemoração aos 162 anos de seu nascimento o varal de poesias expõe as variadas formas de sua obra.


Entrada franca.
De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30, e sábado, das 9h às 13h30, "exceto feriados".
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Busque você mesmo!